O dia em que a URSS saiu da Copa do Mundo em solidariedade ao povo chileno


Jogo de ida entre URSS e Chile, em Moscou
Em 21 de novembro de 1973 estava prevista a partida eliminatória para a copa do mundo entre as seleções de Chile e União Soviética. O golpe fascista de Pinochet ocorreu em 11 de setembro, alguns meses antes. As consequências imediatas foram terríveis: assassinatos, torturas, desaparições, etc.

No jogo de ida, no Estádio Lenin, em Moscou, o duelo entre as seleções terminou em 0x0. Mesmo tendo sido alguns dias depois do golpe, seus efeitos ainda não se sentiam com tanta força. Mas no dia 21 de novembro já se tinha notícias das decorrências do golpe: assassinatos, torturas, desaparições e outras formas de violência contra a militância de esquerda. O papel que desempenhou o Estádio do Chile no golpe tornava este lugar indigno para a disputa de uma partida de futebol. O governo fascista de Pinochet faria este estádio entrar para a história mas, desgraçadamente, não por causa do futebol.

As autoridades soviéticas emitiram um comunicado à FIFA no qual se anunciava que a URSS não jogaria uma partida num estádio que havia servido de campo de concentração. A URSS pediu que a partida fosse anulada. A FIFA desconsiderou as petições soviéticas, apesar de uma delegação internacional ter visitado o estádio e ter testemunhado os presos no campo. O comunicado soviético dizia o seguinte: "por considerações morais, os atletas soviéticos não podem neste momento jogar no estádio de Santiago, salpicado com o sangue dos patriotas chilenos... A União Soviética protesta e declara que nas atuais condições, quando a FIFA opera contra os ditames do senso comum e permite que os reacionários chilenos a levem pela mão, é obrigada a se negar a participar da partida eliminatória em solo chileno e resposabiliza por tal fato a administração da FIFA."

Jogo de volta entre Chile e URSS (ausente), em 1973
O dia da partida chegou. Apesar do veredito da Federação, favorável a que se disputasse a partida, a seleção da União Soviética não viajou para o Chile. A seleção chilena tinha que ganhar o jogo para se classificar para o Mundial. Seus jogadores entraram em campo e marcaram um gol em um rival inexistente.

O regime fascista de Pinochet fazia dessa forma um dos papeis mais ridículos de que se tem notícia na história do esporte. A seleção chilena não só traía um jogo limpo contra um rival inexistente, mas também traía o melhor do seu povo. Mas a União Soviética, por outro lado, dava uma mostra admirável de solidariedade e de amor ao povo chileno. E admirável não só no Chile. Seus exemplo esportivo teve eco em todo o mundo. O esporte soviético fechou as portas para que essa seleção participasse da Copa do Mundo em 1974, mas demonstrava que a qualidade humana do socialismo está muito acima dos resultados esportivos.

Imagens dos presos no Estádio no Chile



0 comentários: