Quem quer dinheiro?


40 perguntas para Yoani Sánchez em sua turnê mundial


1. Quem organiza e financia sua turnê mundial?
2. Em agosto de 2002, depois de se casar com o cidadão alemão chamado Karl G., abandonou Cuba, “uma imensa prisão com muros ideológicos”, para imigrar para a Suíça, uma das nações mais ricas do mundo. Contrariamente a qualquer expectativa, em 2004, decidiu voltar a Cuba, “barco furado prestes a afundar”, onde “seres das sombras, que como vampiros se alimentam de nossa alegria humana, nos introduzem o medo através do golpe, da ameaça, da chantagem”, onde “os bolsos se esvaziavam, a frustração crescia e o medo se estabelecia”. Que razões motivaram esta escolha?
3. Segundo os arquivos dos serviços diplomáticos cubanos de Berna, Suíça, e de serviços migratórios da ilha, você pediu para voltar a Cuba por dificuldades econômicas com as quais se deparou na Suíça. É verdade?
4. Como pôde se casar com Karl G. se já estava casada com seu atual marido Reinaldo Escobar?
5. Ainda é seu objetivo estabelecer um “capitalismo sui generis” em Cuba?
6. Você criou seu blog Geração y (Generación Y) em 2007. Em 4 de abril de 2008 conseguiu o Prêmio de Jornalismo Ortega e Gasset, de 15 mil euros, outorgado pelo jornal espanhol El País. Geralmente, este prêmio é dado a jornalistas prestigiados ou a escritores de grande carreira literária. É a primeira vez que uma pessoa com seu perfil o recebe. Você foi selecionada entre cem pessoas mais influentes do mundo pela revista Time (2008). Seu blog foi incluído na lista dos 25 melhores blogs do mundo pela cadeia CNN e pela revista Time (2008), e também conquistou o prêmio espanhol Bitacoras.com, assim como The Bob’s (2008). El País lhe incluiu em sua lista das cem personalidades hispano-americanas mais influentes do ano 2008. A revista Foreign Policy ainda a incluiu entre os dez intelectuais mais importantes do ano em dezembro de 2008. A revista mexicana Gato Pardo fez o mesmo em 2008. A prestigiosa universidade norte-americana de Columbia lhe concedeu o prêmio María Moors Cabot. Como você explica esta avalanche de prêmios, acompanhados de importantes quantias financeiras, em apenas um ano de existência?
7. Em que emprega os 250 mil euros conseguidos graças a estas recompensas, um valor equivalente a mais de 20 anos de salário mínimo em um país como França, quinta potencia mundial, e a 1.488 anos de salário mínimo em Cuba?
8. A Sociedade Interamericana de Imprensa, que agrupa os grandes conglomerados midiáticos privados do continente, decidiu nomeá-la vice-presidente regional por Cuba de sua Comissão de Liberdade de Imprensa e Informação. Qual é seu salário mensal por este cargo?
9. Você também é correspondente do jornal espanhol El País. Qual é sua remuneração mensal?
10. Quantas entradas de cinema, de teatro, quantos livros, meses de aluguel ou pizzas pode pagar em Cuba com sua renda mensal?
11. Como pode pretender representar os cubanos enquanto possui um nível de vida que nenhuma pessoa na ilha pode se permitir levar?
12. O que faz para se conectar à Internet se afirma que os cubanos não têm acesso e ela?
13. Como é possível que seu blog possa usar Paypal, sistema de pagamento online que nenhum cubano que vive em Cuba pode utilizar por conta das sanções econômicas que proíbem, entre outros, o comércio eletrônico?
14. Como pôde dispor de um Copyright para seu blog “© 2009 Generación Y – All Rights Reserved”, enquanto nenhum outro blogueiro cubano pode fazer o mesmo por causa das leis do embargo?
15. Quem se esconde atrás de seu site desdecuba.net, cujo servidor está hospedado na Alemanha pela empresa Cronos AG Regensburg, registrado sob o nome de Josef Biechele, que hospeda também sites de extrema direita?
16. Como pôde fazer seu registro de domínio por meio da empresa norte-americana GoDady, já que isto está formalmente proibido pela legislação sobre as sanções econômicas?
17. Seu blog está disponível em pelo menos 18 idiomas (inglês, francês, espanhol, italiano, alemão, português, russo, esloveno, polaco, chinês, japonês, lituano, checo, búlgaro, holandês, finlandês, húngaro, coreano e grego). Nenhum outro site do mundo, inclusive das mais importantes instituições internacionais, como por exemplo as Nações Unidas, o Banco Mundial, o Fundo Monetário Internacional, a OCDE ou a União Europeia, dispõem de tantas versões linguísticas. Nem o site do Departamento de Estado dos Estados Unidos, nem o da CIA dispõem de igual variedade. Quem financia as traduções?
18. Como é possível que o site que hospeda seu blog disponha de uma banda com capacidade 60 vezes superior àquela que Cuba dispõe para todos os usuários de Internet?
19. Quem paga a gestão do fluxo de mais de 14 milhões de visitas mensais?
20. Você possui mais de 400 mil seguidores em sua conta no Twitter. Apenas uma centena deles reside em Cuba. Você segue mais de 80 mil pessoas. Você afirma “Twitto por sms sem acesso à web”. Como pode seguir mais de 80 mil pessoas sem ter acesso à internet?
21. O site www.followerwonk.com permite analisar o perfil dos seguidores de qualquer membro da rede social Twitter. Revela a partir de 2010 uma impressionante atividade de sua conta. A partir de junho de 2010, você se inscreveu em mais de 200 contas diferentes do Twitter a cada dia, com picos que podiam alcançar 700 contas em 24 horas. Como pôde realizar tal proeza?
22. Por que cerca de seus 50 mil seguidores são na verdade contas fantasmas ou inativas? De fato, dos mais de 400 mil perfis da conta @yoanisanchez, 27.012 são ovos (sem foto) e 20 mil têm características de contas fantasmas com uma atividade inexistente na rede (de zero a três mensagens mandadas desde a criação da conta).
23. Como é possível que muitas contas do Twitter não tenham nenhum seguidor, apenas seguem você e tenham emitido mais de duas mil mensagens? Por acaso seria para criar uma popularidade fictícia? Quem financiou a criação de contas fictícias?
24. Em 2011, você publicou 400 mensagens por mês. O preço de uma mensagem em Cuba é de 1,25 dólares. Você gastou seis mil dólares por ano com o uso do Twitter. Quem paga por isso?
25. Como é possível que o presidente Obama tenha lhe concedido uma entrevista, enquanto recebe centenas de pedidos dos mais importantes meios de comunicação do mundo?
26. Você afirmou publicamente que enviou ao presidente Raúl Castro um pedido de entrevista depois das respostas de Barack Obama. No entanto, um documento oficial do chefe da diplomacia norte-americana em Cuba, Jonathan D. Farrar, afirma que você nunca escreveu a Raúl Castro: “Ela não esperava uma resposta dele, pois confessou nunca tê-las enviado [as perguntas] ao presidente cubano. Por que mentiu?
27. Por que você, tão expressiva em seu blog, oculta seus encontros com diplomáticos norte-americanos em Havana?
28. Entre 16 e 22 de setembro de 2010, você se reuniu secretamente em seu apartamento com a subsecretaria de Estado norte-americana Bisa Williams durante sua visita a Cuba, como revelam os documentos do Wikileaks. Por que manteve um manto de silêncio sobre este encontro? De que falaram?
29. Michael Parmly, antigo chefe da diplomacia norte-americana em Havana afirma que se reunia regularmente com você em sua casa, como indicam documentos confidenciais da SINA. Em uma entrevista, ele compartilhou sua preocupação em relação à publicação dos cabos diplomáticos norte-americanos pelo Wikileaks: “Eu me incomodaria muito se as numerosas conversas que tive com Yoani Sánchez forem publicadas. Ela poderia sofrer as consequências por toda a vida”. A pergunta que imediatamente vem à mente é a seguinte: quais são as razões por que você teria problemas com a justiça cubana se sua atuação, conforme afirma, respeita o marco da legalidade?
30. Continua pensando que “muitos escritores latino-americanos mereciam o Prêmio Nobel de Literatura mais que Gabriel García Márquez”?
31. Continua pensando que “havia uma liberdade de imprensa plural e aberta, programas de rádio de toda tendência política” sob a ditadura de Fulgencio Batista entre 1952 e 1958?
32. Você declarou em 2010: “o bloqueio tem sido o argumento perfeito do governo cubano para manter a intolerância, o controle e a repressão interna. Se amanhã as suspenderem as sanções, duvido muito que sejam vistos os efeito”. Continua convencida de que as sanções econômicas não têm nenhum efeito na população cubana?
33. Condena a imposição de sanções econômicas dos Estados Unidos contra Cuba?
34. Condena a política dos Estados Unidos que busca uma mudança de regime em Cuba em nome da democracia, enquanto apoio as piores ditaduras do Oriente Médio?
35. Está a favor da extradição de Luis Posada Carriles, exilado cubano e ex-agente da CIA, responsável por mais de uma centena de assassinatos, que reconheceu publicamente seus crimes e que vive livremente em Miami graças à proteção de Washington?
36. Está a favor da devolução da base naval de Guantánamo que os Estados Unidos ocupam?
37. Você é favorável à libertação dos cinco presos políticos cubanos presos nos Estados Unidos desde 1998 por se infiltrarem em organizações terroristas do exílio cubano na Florida?
38. Em sua opinião, é normal que os Estados Unidos financiem uma oposição interna em Cuba para conseguir “uma mudança de regime”?
39. Em sua avaliação, quais são as conquistas da Revolução Cubana?
40. Quais interesses se escondem atrás de sua pessoa?
Salim Lamrani*
* Doutor em Estudos Ibéricos e Latino-americanos da Universidade Paris Sorbonne-Paris IV, Salim Lamrani é professor titular da Université de la Réunion e jornalista, especialista nas relações entre Cuba e Estados Unidos. Seu último livro se intitula Etat de siège. Les sanctions économiques des Etats-Unis contre Cuba, Paris, Edições Estrella, 2011, com prólogo de Wayne S. Smith e prefácio de Paul Estrade.
Fonte: Opera Mundi

Sinfonia nº 9 de Shostakovich

Shostakovich como soldado durante cerco a Leningrado

A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais apresenta na próxima terça-feira (26/02) a Sinfonia nº 9 de Shostakovich.

Veja mais informações do evento clicando neste link

A “Sinfonia n° 9, em mi bemol maior, op. 70”, foi originalmente destinada a ser uma celebração à vitória dos russos sobre a Alemanha nazista na Segunda Guerra Mundial. 

O compositor declarou em outubro de 1943 que esta sinfonia seria uma grande composição para orquestra, coro e solistas, e que o contexto seria "sobre a grandeza do povo russo, sobre o nosso Exército Vermelho que libertou a nossa terra natal do inimigo". 

Por ocasião do 27º aniversário da Revolução, realizado em 1944, Shostakovich afirmou: "Sem dúvida que, como cada artista, eu abrigo o sonho de criar um trabalho de grande escala onde sejam expressos os nossos sentimentos que hoje vão de encontro com o sentimento do povo russo. Penso que a epígrafe para todo o nosso trabalho nos próximos anos será a única palavra 'Vitória”. 

David Rabinovich se lembra de uma conversa que ele teve com Shostakovich em 1944 acerca da nona sinfonia. O compositor "gostaria de escrevê-la para um grande coro e cantores solo, bem como uma grande orquestra". Em uma reunião com seus alunos a 16 de Janeiro de 1945, Shostakovich informou-lhes que no dia anterior ele havia iniciado os trabalhos sobre uma nova sinfonia. Uma semana mais tarde, ele disse-lhes que tinha chegado ao meio do desenvolvimento. 

Isaak Glikman ouviu cerca de dez minutos de Shostakovich tinha escrito a música para o primeiro movimento no final de abril, o que ele descreveu como sendo um trabalho "majestoso”. Mas depois disso parou a composição por três meses. Retomou o trabalho na sinfonia em 26 de Julho de 1945 e terminou em 30 de agosto 1945. 

A obra acabou por ser um trabalho totalmente diferente da previsão do compositor, nem com coro nem solistas, e o humor era muito mais leve do que o esperado. Ele avisava os ouvintes, "que esta Nona Sinfonia está muito diferente de minha proposta inicial e diferente das sinfonias anteriores”, 

As sinfonias nº 7 e 8 são mais trágico - heroicas, em contrapartida, a Nona é mais transparente e brilhante predominando um certo humor. " Shostakovich e Svyatoslav Richter tocaram a Sinfonia Nº. 9 em uma versão para piano a quatro- mãos para agentes culturais no início de Setembro de 1945. 

A estreia da Sinfonia n º 9 para orquestra, foi dirigida por Evgeny Mravinsky a 3 de Novembro de 1945 no concerto de abertura da 25ª temporada da Orquestra Filarmônica Leningrado, dividindo o programa com a sinfonia No. 5 de Tchaikovsky transmitido ao vivo pela rádio estatal. 

Em Moscou a estreia foi em 20 de Novembro de 1945 com a Orquestra Estatal Russa, na regência do Mravinsky. Shostakovich. 

A primeira reação para a nova sinfonia foi favorável. Gavriil Popov descreveu: "Transparente, muita luz e maravilhosa."

A Sinfonia foi indicada para o Prêmio Stalin em 1946, mas não conseguiu ganhar. Por determinação de Glavrertkom, o trabalho foi proibido de ser executado na rádio estatal em 14 de Fevereiro de 1948. Mas no Verão de 1955 a sinfonia volta a ser novamente apresentada pela emissora de rádio estatal.


Os feitos espaciais da Pátria Soviética


A URSS fez muitos feitos em seus 74 anos de existencia. Alguns inimagináveis. Foi o primeiro país do mundo onde a classe trabalhadora realmente descobriu seu potencial transformador. Foi o primeiro país a proibir expressamente o Racismo em sua Constituição. Foi o primeiro país a oferecer educação e saúde 100% públicas e de qualidade. Eliminou o Trabalho infantil, a Fome, o Analfabetismo e o Fanatismo religioso. Deu direitos á Mulher. Derrotou Adolf Hitler. Desenvolveu sua economia para que esta gigantesca pátria multinacional passasse de um país pobre e agrário á segunda maior economia do mundo.

Ela também mostrou seus feitos nas Ciências. Foi o País da Tsar Bomba - a maior Bomba Nuclear da história, e da melhor arma de todos os tempos, o AK-47. Ao mesmo tempo, foi também o país que mais lutou pela Paz, ajudando os países de terceiro mundo a desenvolver sua economia, e aos povos colonizados a lutar por soberania. Foi o país de cientistas renomados, cada um em sua especialidade, desde Física e Matemática até Química e Engenharia.

E por falar em Ciências, ninguém nunca superou o Programa Espacial Soviético. Nós somos bombardeados todos os dias pela história ridícula de que os "EUA ganharam a Corrida Espacial", simplesmente porque foram á Lua. Porém nunca soubemos do quão extraordinário foi o Programa Espacial dos Soviéticos. Foi Pioneiro em quase tudo. Se a Pátria Soviética ainda existisse, provavelmente a Ciência Espacial (e a Ciência como um todo) de hoje em dia estaria em horizontes ainda maiores. Observe aqui alguns dos feitos espaciais soviéticos.


·  1957: Lançamento do R-7 Semyorka. O Primeiro Míssil Balístico Intercontinental.

·  1957: Lançamento do Primeiro Satélite da história: Sputnik 1.

·  1957: Primeiro ser vivo em órbita: a cadela Laika, no Sputnik 2.

·  1959: Lançamento de um míssil, o primeiro objeto feito pelo homem a sair da órbita da terra, Luna 1

·  1959: Primeiro objeto a passar próximo da lua, e o primeiro objeto a orbitar a Lua, Luna 1.

·  1959: Primeiro satélite a atingir a Lua, Luna 2

·  1959: Primeiras imagens do Lado Negro da Lua, Luna 3

·  1960: Lançamento do Marsnik 1, primeiro satélite a ser lançado para Marte.

·  1961: Primeiro Satélite a Vênus, Venera 1

·  1961: Primeira pessoa a entrar em órbita na Terra, Yuri Gagarinno Vostok 1.

·  1961: Primeira pessoa a passar um dia em órbita, Gherman Titov no Vostok 2 

·  1962: Primeiro vôo de dois cosmonautas, nos Vostok 3 e 4.

·  1963: Primeira mulher no espaço, Valentina Tereshkova, Vostok 6.

·  1964: Primeiro vôo de vários cosmonautas, Voskhod 1

·  1965: Primeira pessoa a andar no espaço, Aleksei Leonov, Voskhod 2.

·  1965: Primeira Sonda a outro planeta (Vênus), Venera 3.

·  1966: Primeira Sonda a descer na Lua, Luna 9

·  1966: Primeira Sonda a orbitar a Lua, Luna 10.

·  1967: Primeira vez em que duas naves  (Kosmos 186 e Kosmos 188, ambas sem tripulação) se encontram em órbita (Este feito não seria imitado pelos EUA até 2006).

·  1969: Pela primeira vez, a nave Soyuz 4 se encontra com aSoyuz 5 e sua tripulação vai para ela e volta á Terra.  

·  1970:. Primeiros sinais enviados á Lua pela Luna 16.

·  1970: Primeiro robô móvel, Lunokhod 1.

·  1970: Primeiros dados envviados de uma sonda de outro planeta (Venus), Venera 7.

·  1971: Primeira estação espacial, Salyut 1.

·  1975: Primeiro satélite a orbitar Vênus e enviar dados á terra,Venera 9

·  1984: Primeira mulher a andar no espaço Svetlana Savitskaja(Salyut 7)

·  1986: Primeira equipe a visitar duas estações espaciais, Salyut eMir.

·  1986: Primeira estação espacial permanente na órbita da Terra, oMIR, de 1986 a 2001.

·  1987: Primeira equipe a passar mais de um ano a bordo da Mir,Vladimir Titov e Musa Manarov.
 ...

O pioneirismo espacial soviético também trouxe pioneirismos sociais. A URSS enviou vários Cosmonautas ao espaço, mas muitos deles eram de outros países. Não só das nações amigas do Pacto de Varsóvia, como também das do Terceiro Mundo.


 Arnaldo Tamayo Mendez

Foi o primeiro cidadão Cubano, e a primeira pessoa de um país do Hemisfério Ocidental além dos EUA a viajar na órbita do espaço. Ele também foi o primeiro Hispânico e o primeiro Negro no espaço.



Pham Tuan

O primeiro Vietnamita e o primeiro asiático (além da fronteira russa) a orbitar o espaço.




Abdul Ahad Mohmand

O Primeiro Afegão e o Quarto Muçulmano a viajar no espaço. Também foi ele que trouxe o primeiro exemplar do Corão ao espaço. 

Sua história nos faz lembrar de como a URSS tentou trazer progresso ao Afeganistão, mas os mercenários terroristas fanáticos pagos pela CIA destruiram tudo.



Fonte: Blog Ak-47

Download do filme A queda de Berlim, épico soviético de 1949


Nunca lançado no Brasil, A queda de Berlim estreou em 1949, na URSS, mas foi retirado de circulação por Kruschev na década de 1950 em suas campanhas de "desestalinização", por considerar o filme "culto à personalidade" de Stalin.  Ficou perdido durante décadas, até que foi restaurado em 2006.

O arquivo disponibilizado abaixo para download é essa versão restaurada, mas com legendas em português que foram realizadas pelo Centro Cultural Manoel Lisboa, do Brasil.

O filme é importante pois mostra uma visão soviética da guerra, isso é, a visão dos verdadeiros vencedores - e de quem mais sofreu com o conflito. As perdas humanas soviéticas são estimadas em 27 milhões de pessoas, números muito superiores aos de qualquer outro país.

A película também mostra a extrema desconfiança com que a URSS via os chamados "aliados", e que seu auxílio à URSS na guerra não foi tão efetivo quanto poderia ter sido. Isso coloca em questão a atual versão histórica contada pelos países imperialistas de que o "Dia D", por exemplo, foi determinante para a vitória sobre o nazismo. Na verdade, como podemos ver nesta entrevista recente do historiador Geoffrey Roberts, a URSS poderia ter vencido a guerra sozinha.

E uma outra curiosidade apresentada pelo filme nesse sentido é a esperança que Hitler tinha de que a qualquer momento os EUA entrariam em Berlim para ajudar a Alemanha nazista contra os soviéticos. Hitler mostra grande "consciência de classe" ao dizer, por várias vezes, que os imperialistas estavam sendo ingratos a ele, pois a luta do nazismo era a favor dos interesses do grande capital.

A queda de Berlim foi oferecido de presente a Stalin pelo seu aniversário de 70 anos. É importante ter isso em mente para compreender melhor algumas felicitações feitas ao personagem Stalin durante o filme, principalmente na cena final.

Abaixo uma pequena descrição do filme, traduzida e editada do release da IHF:

A queda de Berlim

A queda de Berlim, versão restaurada do épico soviético, dirigido por Mikhail Chiaureli, está agora disponível no Brasil. Por décadas notório, mas raramente visto: a recriação soviética da II Guerra Mundial, num momento de extremo prestígio de Stalin para com o povo soviético e os trabalhadores de todo o mundo.

O próprio Stalin trabalhou no roteiro deste filme, refinando os bastidores da guerra e sua própria participação.

Nada foi poupado em sua produção: foram usados 5 divisões de artilharia e de infantaria, 4 batalhões de tanques, 193 aviões e 45 troféus Panzer alemães, assim como 1,5 milhão de litros de combustível para encenar as batalhas panorâmicas.

A memorável recriação da Batalha de Berlim, alcançando seu clímax na encarniçada batalha sobre o Reichstag, impressionou até mesmo os críticos ocidentais devido ao seu intenso realismo e belo espetáculo.

Igualmente memorável é o retrato de Hitler e seu círculo interno apresentado no filme, cuja insensatez e intrigas acontecem em um ambiente que recria a grandiosidade da Chancelaria do Führer e da claustrofobia de seu bunker com uma intensidade surrealista.

Stalin, Kalinin, Churchill, Roosevelt e Goebbels, entre vários outros líderes, são interpretados por atores incrivelmente semelhantes em sua aparência física, o que reforça o realismo deste épico.

O ator que interpreta Stalin, Mikhail Gelovani, por exemplo, é um georgiano que vinha se especializando em interpretar o grande líder soviético desde 1930, e que ficou famoso pela precisão com que reproduzia seus gestos e seu sotaque georgiano.

Um enredo secundário é o romance entre Aliosha, um metalúrgico stakhanovista que deixa a fábrica para lutar na guerra, e Natasha, uma bela e jovem professora, que é capturada pelos nazistas.

Este filme foi oferecido como um presente a Stalin pelo seu septuagésimo aniversário. Foi visto em seu lançamento inicial por mais de 38 milhões de soviéticos e venceu todos os conceituados prêmios Stalin imagináveis. Sua trilha sonora ficou a cargo do famoso compositor soviético Shostakovich.

A queda de Berlim foi abruptamente retirado de circulação por Kruschev, durante as campanhas de "desestalinização" iniciadas em 1953, após a morte de Stalin. 

Tendo recentemente ganhado os direitos sobre os negativos originais, a International Historical Films oferece este épico há tanto tempo censurado em uma versão digitalmente restaurada, com legendas em inglês. A presente tradução para o português foi realizada pelo Centro Cultural Manoel Lisboa.

Download do filme A queda de Berlim (1949)
(Total: 30 arquivos)