EMMANOEL BEZERRA DOS SANTOS, DIRIGENTE COMUNISTA

Aproveitando a data, 17 de junho, publicamos esta resumida biografia deste grande revolucionário, como forma de homenagear e lembrar sua vida e luta.

Em 17 de junho comemora-se o aniversário do revolucionário Emmanoel Bezerra.

Emmanoel Bezerra nasceu em 17 de junho de 1943, em Praia de Caiçara, Município de São Bento do Norte/RN.

Destacado líder estudantil, estudou no Colégio Atheneu, na sua cidade natal. Foi presidente da Casa do Estudante quando cursou a antiga Faculdade de Sociologia, na Fundação José Augusto. Destacou-se nos estudos do marxismo-leninismo e economia política, moldando sua militância política sendo ardente defensor da ciência do proletariado nas acaloradas discussões com os colegas e companheiros. Foi a principal liderança do comitê universitário do Partido Comunista Revolucionário, organizado naquela ocasião, no Rio Grande do Norte. Viveu de 68 a 73 nos Estados de Pernambuco e Alagoas. Organizou a bancada dos estudantes potiguares para o histórico congresso da Une em Ibiúna – SP, onde foi preso com os demais companheiros, sendo enquadrado pelo famigerado Decreto-lei 477 do general Costa e Silva. A repressão do regime militar fascista fez com que fosse expulso da faculdade e iniciasse sua militância na clandestinidade. Dedicando-se ao trabalho de organização e relação com as organizações revolucionárias no estrangeiro viajou por diversas vezes ao Chile e Argentina.

Em 1973, Emmanoel Bezerra, juntamente com Manuel Lisboa foram presos e barbaramente torturados por dias seguidos pelos agentes do regime militar fascista. Sua conduta exemplar diante de seus algozes, sua postura firme e fidelidade aos princípios do marxismo-leninismo fizeram com que sua morte significasse uma dura derrota para seus inimigos.

Saudemos nessa data esse grande revolucionário, que nas duras condições do trabalho clandestino e das perseguições, juntamente com Manuel Lisboa de Moura, deram gigantescas contribuições para a forja do verdadeiro partido do proletariado. Sua trajetória de luta, sua resistência, sua contribuição teórica e prática, representam para os revolucionários brasileiros um grande exemplo de dedicação à causa do proletariado, e aponta para todos o caminho da luta revolucionária.

Sua ardente fidelidade à causa revolucionária e firme convicção no futuro luminoso da humanidade estão estampadas nesse poema, escrito quando da sua primeira prisão na Base Naval de Natal, em 1969.

Às gerações futuras

Eu vos contemplo
Da face oculta das coisas.
Meus desejos são inconclusos,
Minhas noites sem remorsos.
Eu vos contemplo,
Pelas grades insensíveis.
Meu sonho,
é uma grande rosa.
Minha poesia,
Luta .
Eu vos contemplo
Da virtual extremidade.
Minha vida (pela vossa).
Meu amor,
Vos liberta
Eu vos contemplo
As grades esmaecem.
Da própria contingência
Mas minha força
É imbatível
Porque estais
À espera.
Eu vos contemplo
Do fogo da batalha.
Meus soldados
Não se rendem.
O grande dia
Chegará
Eu vos contemplo
Gerações futuras,
Herdeiros da paz e do trabalho
Ante o meu contemplar.


Viva Emmanoel Bezerra!
HONRA E GLÓRIA AOS HERÓIS DO POVO!



Fonte: MPER

0 comentários: